domingo, 29 de novembro de 2009

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Não basta o poder de decisão tem de ter conhecimento!


Na Flórida (Estados Unidos), um ateu criou uma discussão contra os feriados da Páscoa e Pessach (páscoa dos judeus). Ele contratou um advogado para abrir um processo de discriminação contra Cristãos e Judeus e o cumprimento de suas cerimônias sagradas.
O argumento foi de que era injusto que os ateus não tivessem um dia como estes de reconhecimento. O caso foi levado a um juiz. Depois de ouvir a apresentação passional do advogado, o juiz bateu o martelo, declarando: “Caso recusado!”
O advogado imediatamente se opôs ao veredicto, dizendo: “Meritíssimo, como o senhor pode rejeitar este caso? Os Cristãos têm Natal, Páscoa e outros. Os Judeus têm a Pessach, Yom Kippur* e Hanukkah**, enquanto meu cliente e outros ateus não têm este tipo de feriados.”
O juiz inclinou-se para frente, em sua cadeira, dizendo: “Mas vocês têm. Seu cliente, doutor, é tristemente ignorante.” O advogado disse: “Meritíssimo, nós desconhecemos qualquer cerimônia especial ou feriado para ateus.”
O juiz disse: “O calendário diz que 1º de abril é o dia da mentira. O Salmo 14.1 determina: “Diz o mentiroso no seu coração: Não há Deus.” Então, é da opinião desta corte que, se seu cliente diz que não há Deus, então, ele é um mentiroso. Por isso, dia 1º de abril é o dia dele. A corte está suspensa!
Você deve amar um juiz que conheça as Sagradas Escrituras.

Você luta ou desiste?


quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Se desprenda do que é ruim e renasca para uma nova vida!


A águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie. Chega a viver cerca de 70 anos. Porém, para chegar a essa idade, aos 40 anos, ela precisa tomar uma séria e difícil decisão. Aos 40 anos, suas unhas estão compridas e flexíveis e já não conseguem mais agarrar as presas, das quais se alimenta. O bico, alongado e pontiagudo, se curva. Apontando contra o peito, estão as asas, envelhecidas e pesadas, em função da grossura das penas, e, voar, aos 40 anos, já é bem difícil!
Nessa situação a águia só tem duas alternativas: deixar-se morrer ou enfrentar  um dolorido processo de renovação que irá durar 150 dias. Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e lá recolher-se, em um ninho que esteja próximo a um paredão. Um lugar de onde, para retornar, ela necessite dar um vôo firme e pleno. Ao encontrar esse lugar, a águia começa a bater o bico contra a parede até conseguir arrancá-lo, enfrentando, corajosamente, a dor que essa atitude acarreta. Espera nascer um novo bico, com o qual irá arrancar as suas velhas unhas. Com as novas unhas ela passa a arrancar as velhas penas. E, só após 5 meses, “renascida”, sai para o famoso voo de renovação, para viver, então, por mais 30 anos.
Assim como a águia nós em alguns momentos de nossa vida precisamos tomar uma decisão ou de continuar igual e esperar o fim, ou nos desprender de tudo que é ruim e renascer para uma nova vida!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Como você vê as coisas?


Você já falou com alguém que é tão negativa que te fez perder a vontade de conversar com ela? Tem pessoas que são tão pessimistas que a visão negativa que ela tem para tudo atrai realmente para ela as coisas ruins da vida. Já está provado pela medicina que as pessoas com doenças graves com fé tem mais chances de se recuperar do que aquelas pessimistas. Então atraia para você o que é bom, declare coisas boas, tanto para si como para os que estão ao seu redor. Os desafios que enfrentamos mudam de acordo com a nossa visão, se você considera seu problema impossível, realmente será. Mas se você crer que seu problema é uma oportunidade de exercitar a sua confiança, você superará seus desafios sem muitos problemas. A nossa meta é olhar as coisas com otimismo, isso te fará mais forte.
Marcele

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Comemore a vitórias


Não sei como isso vem acontecendo e porque isso começou a acontecer só sei que o mundo que vivemos hoje em dia as pessoas tem supervalorizado as coisas ruins que acontecem e simplesmente esqueçem as coisas boas que vão surgindo. Uma forma prática para você entender que realmente é isso que tem acontecido pense neste momento qual foi a pregação de domingo... se calhar você não se lembra mais, terá de fazer um imenso esforço, olhar algum papel para ver se lembra e talvez nem com tudo isso se lembrará, mas se eu lhe perguntar uma ofensa que te fizeram a 5, 10,15 anos atrás, talvez você já tenha bem nítido na sua mente. Isso é apenas um exemplo de que as pessoas utlimamente não tem valorizado as coisas boas que lhe acontecem, mas se martirizam no sofrimento de seus fracassos. Se você me permitir dar um conselho, valorize as coisas boas que lhe acontece e jogue no mar do esquecimento essa bagagem de tristeza e sofrimento, talvez não seja uma atitude simples ou fácil, mas sem dúvida será a melhor. Essa mensagem é simples de se entender mas difícil de se praticar, então começe agora, para não deixar essa oportunidade se perder como tantas outras. Comece dando um bom dia, boa tarde ou boa noite com um sorriso e crendo que realmente será tudo bom. Aprenda a valorizar as pessoas que te amam, se preocupando com elas e se alegrando com elas, assim elas vão aprender consigo e se alegrarão contigo também.

Marcele

sexta-feira, 6 de novembro de 2009


quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Ser Feliz ou Ter Razão?



Oito da noite, numa avenida movimentada.
O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos.
O endereço é novo, bem como o caminho que ela consultou no mapa antes de sair.
Ele conduz o carro.
Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua, à esquerda.
Ele tem a certeza de que é à direita...
Discutem.
Percebendo que além de atrasados, poderão ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida.
Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado.
Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz
o retorno.
Ela sorri e diz que não há nenhum problema, se chegarem alguns minutos atrasados.
Ele questiona: - Se tinhas tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, por que não insististe um pouco mais?
Ela diz: - Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz!!! Estávamos à beira de uma discussão. Se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite!

                  MORAL DA HISTÓRIA:

Esta pequena história foi contada por uma empresária, durante uma palestra  sobre simplicidade no mundo do trabalho. Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independentemente, de tê-la ou não. Desde que ouvi esta história, tenho-me perguntado com mais freqüência:    'Quero ser feliz ou ter razão?'
Outro pensamento parecido, diz o seguinte:
'Nunca se justifique. Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam'.

Autoestima


Com tanta concorrencia, tanta desigualdade, muitos de nós deixamos a nossa autoestima em baixo, mas quando isso acontece as demais áreas de nossa vida ficam frustradas pois deixamos de acreditar em nosso potencial, e na verdade ninguém é tão mal que não tenha nada para ensinar, ou algo de bom para servir de exemplo, devemos acreditar em nosso potencial, pois infelizmente o erro de muitas pessoas é deixar tudo na responsabilidade de Deus, quando na verdade devemos assumir esta responsabilidade de acreditarmos em nosso trabalho ou em qualquer que seja a área em questão, pois isso acontece muito isso com a s mulheres quando estão com alguns quilos a mais (diga-se de passagem que a maioria se considera assim) ela se sente com a autoestima em baixa e acaba por se desvalorizar e se você reparar até a forma de andar, falar, se expressar mostra uma certa debilidade na sua palavra. Claro que toda mudança é difícil, e principalmente começar, pois os hábitos errados estão a tanto tempo conosco que quando temos que mudar sempre é complicado, mas a verdade é que se você não der o primeiro passo como você fará essa nova caminhada? Será impossível, então não se importe se for um passo pequeno, mas o mais importante é você a cada dia dar um novo passo para mudar o seu interior e crer mais em seu potencial.
Marcele